Saturday, February 24, 2007

Mudanças!

O Primeiro e o último dia a gente sempre acha que nunca esquece, mas bem a verdade é que esses são exatamente os dias que, pelo menos para mim, vão embora da memória com o passar do tempo. Eu já não lembro o meu primeiro dia de escola, o primeiro dia de mestruação, o primeiro dia que descobri que estava apaixonada. Lembro de uma tarde fria com cólica, dos dias no meio de abril numa aula chata de história ou de uma conversa pra falar da nova paixão. Não lembro também com detalhes o meu último dia na escola, o meu último dia de namoro com alguns dos meus ex-namorados, ou meu último dia no meu antigo apartamento.
Hoje é meu último dia aqui na Gilmore Ave. Se eu lembro do meu primeiro dia aqui? Não. Tava muito ocupada pensando no meu último na homestay. Se eu vou lembrar do meu primeiro dia na Bute Street? Provavelmente não. Vou estar muito ocupada e cansada desfazendo malas, arrumando prateleira e conhecendo meus novos roomates. Mas vou lembrar pra sempre da visita rápida da Claudinha aqui em casa, esperando eu tomar banho pra podermos sair, do dia que cheguei com a TV nas costas e uma chuva danada, do dia que o Neil me ligou e mandou eu ir lá fora e eu de pijama e descalça vivi meu primeiro momento na neve no quintal da casa na Gilmore. Vou lembrar das tardes no parque ou na biblioteca pra ler as revistas dos meses anteriores. Dos passeios aos brechós aqui perto, das idas ao subway logo depois do Cambie e do dia que queimei o feijão e a casa ficou com cheiro de queimado durante uma semana. Vou lembrar dos dias no meio do nada, que foram aparentemente insignificantes, mas que são esses que ficarão aqui dentro guardadinhos pra sempre.
E como é bom fazer as malas. Sei que tem gente que odeia, mas eu realmente gosto. É como fazer um balanço de tudo que se têm, de tudo o que se comprou e de ver em que tamanho e proporções se resume a sua vida. A minha no momento se resume à uma mala vermelha, e à duas cinzas e laranjas que comprei no Wall Mart. À uma mochila da Roots com a bandeira do Canadá, à uma mala de oncinha e algumas bolsas que não couberam em mala nenhuma e estão em sacolas da Zara e da Winners. E a um lap top que guardo fotos e palavras que me ajudarão a lembrar de tudo isso que estou vivendo, quando isso for parar na parte das lembranças.
E na próxima vez que eu colocar palavrinhas aqui vou estar vivendo na sala com mais outras duas pessoas, dividindo banheiro, armário, cozinha, panela, televisão, privacidade. Vai ser bem legal. Nunca tive isso. Essa coisa de casa cheia, limites dentro de casa e blábláblá. Mais um aprendizado. Boa! É exatamente isso que preciso!!
Vejo vcs na Bute Street!!! Bye!!

5 comments:

Thiago Foresti said...

eae! Mudou de blog eh? Ta mais bonito esse aqui.
Como voce colocou essa foto ai do lado? me ensina?
To pensando em fazer meu blog em ingles num futuro distante... o que vc acha?
Beijao

Rita said...

É mesmo Li, como vc fez isso ae do lado?
Olha só, eu já´tinha lido esse posto há muiooto tempo,m as naõ havia comentado, inclusive, adorei!!!
A taty baiana me escreveu uma coisa que resume um pouco: "O real não está na saida nem na chegada: ele se dispõe para a gente é no meio da travessia" (Guimarães Rosa)

Gostei tb da frase abaixo.... foda!!!!

Bjo
Te amooo

Danilo said...

Meu adorei o post, ele soa estranhamente verdadeiro pra mim....
e viva as mudanças!
bjos

Anonymous said...

Não é fácil lidar com mudanças, mas tem vezes, que são extremamente necessárias! [UMA]

Rita said...

filhona, atualiza esse blog, please!