Thursday, January 25, 2007

Brazil: Survivor Country

Após um dia cansativo de trabalho entrei no ônibus e sentei na frente de um casal de gordinhos. Muito bonitinho os dois, afetuosos um com o outro, falando empolgadamente sobre os próximos dias de trabalho e sobre a recuperação de alguém. O telefone da gordinha toca, ela fala por horaaaaaas no celular pink com um ursinho maior que a mão dela. Como a conversa não estava interessante resolvi colocar meu I-pod pra tocar e desencanei do casal. Algum tempo depois, a loirinha já tinha desligado e foi a vez do cel do gordinho tocar. Ele atendeu, e começou a falar tão empolgado que até se ajeitou na cadeira pra falar melhor sabe?!Só faltou arregaçar a manga, de tão "pronto" que ele ficou pra começar a falar. Ele falava tão alto, mas tão alto, que Fernando Aniteli no meu I-pod ficou sem poder de persuasão. Desliguei meu briquedinho e me pus a prestar atenção no gordinho. Vi em sua mão uma sacola da Chapters e dentro um livro escrito Rio de Janeiro. Achei o maximo! E naquela hora foi a minha vez de me ajeitar na cadeira pra admirar o mocinho que queria conhecer o meu país. Papo vai, papo vem, quase chegando o momento de eu descer o gordinho me lança: - Pois é, fiquei super feliz com a recuperação dela, porém com essa história dela querer ir para o Brasil, não fico confortável. País muito perigoso, tenho lido cada coisa de lá que vc não acredita... Do outro lado alguém deve ter tentando defender o Brasil, mas ele insiste: - Sim, é bonito... mas mesmo assim, não acho seguro.. ficaria muito mais tranquilo se ela fosse para Grecia ou Amsterdan... tentei convencê-la, mas ela está irredutível... Mais alguma coisa positiva do outro lado da linha, eu puxei a cordinha pra descer e o gordinho: - Não sei, Brasil... Survivor country... Não é lugar pra ela. Definitivamente. Muito mais barato, mas acredito que não tenha nada que um outro país mais seguro e tão bonito quanto não possa oferecer. Pois é caros brasileiros... e acreditem... essa não é a primeira, nem a segunda, nem infelizmente a terceira vez que ouço coisas como essas. Infelizmente, nem a fama de mulheres bonitas e melhor futebol do mundo e suficiente pra levar os turistas pra lá. E sabe quem piora essa situação? Os brasileiros que estão fora do país. Sempre tem uma patricinha fdp falando que o país é violento, sempre têm um mauricinho contando todo todo quantas vezes seu carro foi assaltado e quantas mulheres catou na balada. E sabe a impressão que fica? Que as mulheres são putas e burras, o país é uma bagunça e turista vai ser morto na primeira balada. Orgulho de ser brasileiro? I don't think so...

4 comments:

Particular Chef said...

um blog de cara nova, com A SUA CARA, literalmnete!
adorei!!!!!

beijão

Danilo said...

Lli,que saudades pessoinha rara !!

na verdade tinha perdido seu blog (assumo...), fiquei tãao feliz com seu email...
prometo ler todos os posts atrasados, com o tempo eu consigo..rs...

Um bjo do tamanho da minha saudade

Vivi said...

Aee!! mudou o layout, ficou bonito!!

Gosto de ler aqui, sempre.

Beijos

André Graciano said...

Olá. Eu nem preciso dizer que estou com saudades certo...
Tudo que sei é que as nossas conversas, diálogos fazem muita falta na minha vida, após ler a sua narração (diga se de passagem um espetáculo) eu me vi como um dos personagens, quando aqui em Sampa eu cheguei e a minha única companhia era a minha própria solidão.
Gostaria muita de ouvir você, principalmente comendo uma bela pizza.
Amizade x Saudade.
A grande incerteza de nossas vidas é o próprio presente.
O vazio em nossas vidas só é preenchido com as nossas palavras.
Enfrentar a saudade é desbravar o presente acreditando em um futuro sem dor.
Sobreviver aos desencontros casuais em nossas vidas representa unicamente e simplesmente a vitória.
Que as lagrimas da saudade se tornem pétalas de amor, para que seus olhos possam ver a alegria de viver, amar e saber que em cada canto de amado país existe alguém com pétalas de amor para te entregar quando você estiver pronta para voltar.

É isso...bjs do Dé.